Influencer da dica para quem quer morar em Portugal | BreakTudo
Webcelebs

Influencer da dica para quem quer morar em Portugal

Pati Lemos (Foto: Divulgação)

Saiba como tomar essa decisão e o que esperar ao chegar lá

Patrícia Lemos, 48 anos, carioca, publicitária, tornou-se influenciadora digital depois que se mudou do Brasil para Portugal. O perfil que criou no Instagram, voltado, principalmente, para brasileiros de todo mundo que deseja morar em cidades lusitanas – @voumudarparaportugal – em poucos meses atingiu a marca de 121 mil seguidores. É se tornou o Instagram-referência nesse tema.

Segundo Pati Lemos, o brasileiro redescobriu Portugal. Seja pela sua beleza histórica e monumental, ou pela situação difícil que nosso próprio país enfrenta. Em 2018, uma alta de 23,4% em relação ao ano anterior, segundo ao SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), órgão responsável pela imigração no país. Mas muitos se iludem com o sonho de uma vida mais fácil e acabam ficando presos por lá por um simples motivo: falta de dinheiro. Por isso, é bom se preparar e pensar muito antes de tomar essa decisão. Então, o que você precisa para morar em Portugal?

 

Pati Lemos (Foto: Divulgação)

Pati conta que existem basicamente duas formas de se mudar legalmente para Portugal: ou por meio de um visto de residência ou se a pessoa possui a nacionalidade portuguesa ou europeia. Na primeira opção, existem basicamente:

  1. Visto de trabalho
  2. Visto para empreendedores
  3. Visto de estudante
  4. Visto de aposentado ou detentor de rendimentos
  5. Visto Gold (ou Golden Visa)

Nos 4 primeiros casos, o processo necessariamente tem que ser feito no Brasil. O Golden Visa é um pouco diferente, pois para obtê-lo é necessário que o candidato invista no mínimo 500 mil euros na compra de imóveis em Portugal.

Na segunda opção, filhos de cidadãos portugueses têm direito à nacionalidade portuguesa e poderão transmiti-la a seus filhos. Netos também podem obtê-la, mas precisam comprovar vínculo com a comunidade portuguesa.

Obviamente só isto não basta. Segundo Patrícia Lemos, é preciso PLANEJAMENTO. Uma mudança desse porte precisa ser feita com muito cuidado, pois envolve fatores econômicos, psicológicos e sociais.

Entrevista com a Influencer

Como é morar em Portugal?
Para a publicitária, carioca e influenciadora digital, Portugal oferece bons serviços públicos, é um país seguro (em um ranking mundial, é considerado o 3º país mais pacífico do mundo) e tranquilo. “Você passa a conviver com um nível de civilidade e respeito ao ser humano, que parece ter se perdido há muito tempo no Brasil. Não é a Finlândia, mas está muito acima do que estamos acostumados. E o melhor: nada como morar em um país onde se fala a sua língua e as pessoas te entendem, muitas vezes, apenas com um olhar”, declara Patrícia.

Como é morar em Portugal como aposentado?
Pati Lemos, conta que muitos europeus do norte da Europa escolhem Portugal para viver em sua aposentadoria. “É um país muito mais barato que os seus países de origem e porque tem um clima muito mais ameno”.

Esses não são argumentos que valham para os brasileiros, mas em Portugal vão encontrar um país que valorizam e respeitam profundamente as pessoas que chegam à chamada “melhor idade”. É claro que é preciso considerar que a aposentadoria recebida no Brasil tenha que gerar uma boa renda, para compensar a desvalorização perante o euro e as oscilações do câmbio.

Quanto custa morar em Portugal?
Para a carioca, está é uma pergunta difícil de responder, pois vai depender de uma série de fatores como tamanho da família e o tamanho dos gastos e dos “luxos” cotidianos.

Quem tem um nível de vida mais elevado no Brasil pode se frustrar ao tentar reproduzir em Portugal o mesmo status que tem no Brasil. Quem mora em uma casa de um milhão de reais no Brasil não conseguirá comprar uma casa do mesmo nível em Portugal com o mesmo valor (um pouco mais de 200 mil euros). Ou seja, preciso administrar expectativas.

Vai morar longe dos grandes centros, usar a saúde pública, os transportes públicos e os filhos vão estudar em uma escola pública? Considere que 2 mil euros é um valor razoável para uma família de 4 pessoas. Quer morar em Lisboa, ter carro e seguro saúde e filhos estudando em escola particular? As despesas vão girar em torno de 5 mil euros.

Como é o mercado de trabalho em Portugal?
Acostumada com o mercado de trabalho do Brasil, Patrícia Lemos confessa: “É um mercado de trabalho difícil, que não oferece grandes oportunidades, grandes salários e grandes perspectivas de crescimento profissional. Sobra para os brasileiros trabalhos menos qualificados e é comum ver dentistas dirigindo Uber ou pedagogas trabalhando como manicures”, esclarece Pati Lemos, que alerta ainda sobre uma boa perspectiva de trabalho para quem trabalha com novas tecnologias, web e inovação, pois há carência desses profissionais no mercado em Portugal.

Quais os documentos necessários para morar em Portugal?
De acordo com Patrícia, para viver legalmente em Portugal, é preciso tirar no Brasil um VISTO de residência, que depois será convertido em um TITULO ou AUTORIZACAO de residência, já morando em Portugal. Essa autorização será extensiva à família (cônjuge e filhos) por meio do reagrupamento familiar. Quem tem a nacionalidade recebe o passaporte português e o cartão do cidadão. Em ambos os casos, existe um documento chamado NIF (Número de Identificação Fiscal), que seria semelhante ao nosso CPF, que todo mundo precisa ter, e mesmo os estrangeiros que não residam em Portugal podem tirar este documento.

Vale a pena morar em Portugal?
Para a publicitária, vale super a pena, mas ressalta que é preciso ter esse espírito um pouco aventureiro, aquele comichão de quem não fincou raízes tão profundas. “O país é incrível, pelas razões que eu já enumerei, mas as pessoas não podem esperar que Portugal se adapte às suas expectativas. As pessoas é que têm que se adaptar ao novo
país. Tentar reproduzir em Portugal um mini Brasil pode gerar muita frustração”, garante Pati. E atenção, quem e é muito enraizado, não vive sem o pagode e o futebol com os amigos no fim de semana ou não consegue cortar o cordão umbilical com pais, tios e irmãos deve pensar muito bem antes de tomar uma decisão. Primeiro ponto é refletir profundamente sobre o que o motiva a efetuar essa mudança. Não é o “do que você está fugindo” e sim “o que você está buscando”. Tomada a decisão é preciso avaliar em quais possibilidades, dentre as que eu
enumerei, a pessoa se encaixa para poder mudar legalmente para Portugal.

Se Liga!  Ainda não nos segue no Instagram? Corre lá, nosso @ é @breaktudosite, voce pode nos seguir também no Twitter @breaktudo e no Facebook BreakTudo, aguardamos você lá.

Sobre o autor

Gerf Barone

Comente

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *