Connect with us

Cinema e TV

Un Professore 2: Manoel e Simone? Não rolou, Manuel “vira hétero” e fãs reclamam de bifobia

Published

on

Na fotos de cima Simone e Manuel e embaixo Simone e Mimmo (Foto: RAI 1)

Spoilers: Essa publicação necessariamente contém muitos spoilers.

A segunda temporada da série “Un Professore“, remake da aclamada “Merlí“, já foi lançada na RAI 1, trazendo surpresas inesperadas para os fãs, especialmente em relação ao destino do tão esperado casal Manuel e Simone. Enquanto a primeira temporada construiu uma narrativa indicando uma possível relação amorosa entre os dois, a segunda temporada tomou um rumo diferente, surpreendendo a audiência.

Na trama original, “Merlí”, acompanhamos o desenvolvimento do relacionamento entre Bruno, um jovem gay, e Pol, um colega bissexual que inicialmente se declarava heterossexual. Já em “Un Professore”, a primeira temporada sugeriu uma trajetória semelhante para Simone (gay) e Manuel (que se declarava heterossexual). Os dois personagens compartilharam momentos que pareciam ser apaixonados, inclusive os dois chegaram a se beijar a e iniciativa partiu de Manuel, indicando uma possível construção de um casal, era esperado com base em Merlí.

No entanto, surpreendentemente, a segunda temporada subverteu essas expectativas. A trama começa a mostrar que a troca de afetos entre Simone e Manuel, que parecia encaminhar-se para um relacionamento, é desconsiderada totalmente. Simone, que era apaixonado por Manuel na primeira temporada, demonstra menos interesse na segunda, e o afeto de Manuel por Simone que no final da primeira temporada já parecia ser um afeto romântico, parece se transformar apenas em uma amizade.

Além disso, Manuel desenvolve um interesse romântico pela aluna nova, Nina, já no primeiro episódio da segunda temporada, e Simone parece não se importar muito com isso, conformado. Simone logo também se encanta por um “hétero”, o Mimmo, e Manuel parece que ficou com ciúmes.

A série toma um caminho inesperado, indicando que Manuel é heterossexual, em contraste com as indicações da primeira temporada de que ele poderia ser bissexual. O desfecho dos casais Simone e Mimmo, e Manuel e Nina, pode convencer alguns espectadores, mas destoa significativamente da trama original e do que foi sugerido na primeira temporada. Alguns fãs expressaram a ideia de que a negação da bissexualidade a Manuel na segunda temporada pode ser interpretada como “bifobia”.

Fãs criaram um endereço web chamado Bissexualidade Negada em Un Professore para protestar contra a mudança na série (bisexualitydeniedinunprofessore.carrd.co) . Os fãs argumentam que além de “bifobia”, houve também queerbaiting na divulgação da segunda temporada de “Un Professore”.

A @lalumierepleut, uma das representantes deste movimento de fãs, entrou em contato com o BreakTudo para nos apresentar esse protestos de fãs e disponibilizou um um site onde os eles listam os motivos pelas quais consideram quem Manuel teve a sua bissexualidade negada na segunda temporada.

Os fãs também acusam a trama de fazer queerbaiting, pois deu a entender na primeira temporada que Manuel seria bissexual.

Por “remake”, entendemos a “recriação de um filme/série de TV que pretende repetir suas características emocionais ao longo do tempo”. O elenco, as configurações, a cultura geral serão diferentes dependendo do país que produz o remake (em Skam, podemos ver esse exemplo concretamente), mas as diretrizes da trama (incluindo o final) devem ser respeitadas sem distorcer a identidade dos personagens principais, apagando sua orientação sexual.

Isso é exatamente o que testemunhamos durante esta segunda temporada de Un Professore. Em Merlì, há três personagens principais: o professor não conformista Merlì (Dante), seu filho homossexual Bruno (Simone) e o amigo bissexual Pol, por quem Bruno se apaixonará e se casará (Manuel).

Aqui na Itália, Manuel – devido às declarações bifóbicas do principal roteirista Sandro Petraglia (declarações também endossadas por proeminentes “jornalistas” que escrevem para jornais importantes como Vanity Fair) – foi transformado em um personagem heterossexual, e seu caminho de descoberta e aceitação, que timidamente começava no final da primeira temporada, foi completamente abortado e esquecido, como se nada tivesse acontecido.

Abaixo está uma “pequena” lista das maneiras pelas quais a bissexualidade desse personagem foi depreciada nas últimas semanas:

Pensamos em Manuel como um heterossexual que tem esse meio caso com Simone (Sandro Petraglia para Fanpage)
Para Manuel, é apenas uma experiência (Sandro Petraglia para Fanpage)
Manuel é um personagem criativo e original, e dentro de sua criatividade e inteligência, ele também quer explorar tudo o que pode explorar (Sandro Petraglia para Fanpage)

Un Professore (Foto: Divulgação)

Leia completa a argumentação dos fãs no site.

Os fãs italianos irão fazer um mutirão no Twitter, no dia 10 de janeiro, das 17 às 19 horas (horário local), usando a hashtag #JusticeForManuelFerro e #BringSimuelBack, na esperança de que a terceira temporada de Un Professore traga a bissexualidade de Manuel e de volta o casal e Simone e Manuel.

Chi si fa sentire a capodanno si fa sentire tutto l’anno quindi continuate a diffondere la nuova data 10/01 per twittare #JusticeForManuelFerro e#BringSimuelBack#UnProfessore2
SIMUEL CANON (grazie leo per la tendenza di ieri) https://t.co/aFMzVSJd2X

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *