Luca Moreira

Ferrugem fala sobre “Chopp Garotinho” e comenta planos para 2019

Depois do enorme sucesso de crítica e de público do primeiro DVD “Prazer, sou Ferrugem”, no ano passado, Ferrugemsegue 2019 em pleno vapor e cheio de novidades. A primeira delas chega hoje ao público. O cantor, um dos maiores nomes do samba/pagode do país, lança nas plataformas digitais seu mais novo single: “Chopp Garotinho”.

A canção, animada e com clima de romance, retrata a nostalgia perante um antigo encontro amoroso de boteco. Com ritmo contagiante e gostosa de ouvir, a música promete cair nas graças do público. Intitulada “Chopp Garotinho”, a melodia faz referência à expressão carioca de um chopp colocado em copo menor, com pouca quantidade.

Na letra e no embalo da canção, é nítido perceber as peculiaridades e características do cantor, como o romance, o aconchego no canto e a vontade de dançar. Animada e com fortes referências do samba de roda, a música atingirá os corações apaixonados em cheio.
Se o single já promete virar hit, o clipe não ficará por menos.

Produzido no Rio de Janeiro, na casa do próprio cantor, a gravação trouxe consigo um verdadeiro encontro entre amigos: Lucas Lucco, Sorriso Maroto, Mumuzinho, Dilsinho, Pedro (jogador Fluminense), Suel, Matheusinho, Pocahontas, Imaginasamba, Grupo RDN e Caju Pra Baixo. Além deles, a mulher de Ferrugem, Thais Vasconcelos e as 3 filhas do cantor: Júlia, Sofia e a pequenina Aurora, também participaram.

Recentemente foi lançado o single “Chopp Garrotinho”. Qual foi sua inspiração para fazer esse single?

Minha inspiração foi uma reunião com meus amigos, com bastante comida e bebidas. Claro que sempre tem aquela cervejinha né rs sempre que da, fazemos uma reuniãozinha, um churrasco em casa com os amigos, e queria retratar isso.

Ainda sobre o novo hit, o videoclipe contou com a participação de vários artistas como Lucas Lucco e Sorriso Maroto. Como foi gravar com esse pessoal?

Foi muito bom! São Todos grandes amigos, e sempre que podemos estamos juntos pra fazer uma resenha, o clipe foi a retratação disso.

Você faz grande sucesso na indústria musical brasileira. Qual a importância que o samba representa na sua vida hoje?

O samba representa tudo, graças a ele estou onde estou hoje. É meu ganha pão, é de onde eu vim, e é o que eu amo fazer. Quando estou no palco, sou a pessoa mais realizada e completa profissionalmente.

O que ainda podemos esperar do Ferrugem para o ano de 2019?

Gravamos no último final de semana o meu segundo DVD “chão de estrelas” que contou com novas músicas, e logo teremos o lançamento. Queremos focar nisso por enquanto, mas estamos sempre trabalhando pra melhorar cada dia mais.

Deixe uma mensagem.

Quero agradecer a todos os meus fãs pelo carinho enorme que vocês têm por mim e pelo meu trabalho, sem vocês nada disso seria possível. Grande beijo para todos.

Se Liga!  Ainda não nos segue no Instagram? Corre lá, nosso @ é @breaktudoreal , voce pode nos seguir também no Twitter @breaktudo e no Facebook BreakTudo, aguardamos você lá.

Sobre o autor

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.








Siga no Twitter