Connect with us

K-Pop

ENTREVISTA: Integrantes da banda 2z falam sobre vinda ao Brasil e revelam quais conceitos desejam explorar

Publicado

on

Reprodução 2Z: Divulgação Highway Star

A banda 2Z, um dos novos destaques do pop rock coreano, virá ao Brasil pela primeira vez em 2022. O quinteto fará um show em São Paulo e sessões de autógrafos em Recife, Fortaleza e Rio de Janeiro no mês de junho, com a turnê “A Crash Landing“, através da produtora de shows Highway Star.

 

Formado por Ho Jin (vocais), Ji Seob (guitarra), Jung Hyun (baixo), Bum Jun (bateria) e Zunon (percussão e teclados), o 2Z começou sua carreira em janeiro de 2020, com o lançamento do EP “We Tuzi”. O integrante Zunon juntou-se em julho de 2020. Além de músicos, os integrantes do 2Z são modelos fotográficos. Nas redes sociais, a banda faz sucesso também tocando covers de hits do k-pop em versões mais pesadas. Com influências que vão desde Thin Lizzy, passando por Motley Crüe e U2, o 2Z aposta em um estilo pop rock, que pode agradar tanto os fãs de k-pop quanto aqueles que não são tão familiarizados com as batidas dançantes do pop coreano. Em sua discografia, o 2Z traz um álbum, três EPs e três singles digitais.

 

O BreakTudo realizou uma entrevista com a banda, e você confere agora!

Reprodução: 2Z | Divulgação: Highway Star

Vamos começar falando sobre a banda hoje, quero dizer, qual a maior diferença que vocês notaram desde o início da banda, até agora?

JungHyun: Achamos que a maior diferença que sentimos desde que começamos a banda é em questão de performance e atitude. Na verdade, quando eu comecei a banda, acho que tentei imitar o surgimento de bandas legais ao redor do mundo através do YouTube. Mas agora, acho que estou fazendo o meu melhor para manter o groove ou feeling único vivo enquanto toco música e foco em sentir o “Sound” que os membros estão lançando. Estamos descobrindo cada vez mais que a maneira como tocamos se torna a imagem da música.

A pandemia mudou a todos nós e estamos vivendo em um mundo diferente agora. Para vocês, qual foi a maior mudança?

JISEOB: Gosto de sair para comer comidas deliciosas e me divertir conversando com os membros e minhas pessoas favoritas. No entanto, a pandemia começou e há menos oportunidades para sair. Acho que muitas pessoas estão decepcionadas pelo mesmo motivo que eu. É uma coisa muito triste. Em particular, tive poucas oportunidades de conhecer amigos ou conhecer novas pessoas porque tive que evitar a infecção por COVID-19 o máximo possível após a estreia. Acho que foi uma época muito deprimente. No entanto, por um lado, é um aspecto positivo que a banda tenha tido muito tempo para tentar se tornar mais fiel as performances, certo? Eu sou uma pessoa positiva.

Vocês estão trabalhando em um novo projeto? Se sim, poderia nos contar mais sobre isso?

HOOJIN: Agora, ao invés de fazer um novo álbum, estamos estimulando os preparativos para a nossa turnê. Nossa turnê será um pouco diferente dos conceitos de performances de outros artistas. Não posso te contar os detalhes. Não é divertido se eu te contar primeiro, certo? Se você está curioso, por favor, venha os nossos shows no Brasil. Ah, e fiz uma música nova para a OST de Drama, que é a maior OST que participamos até agora. Não sei se essa música será incluída na trilha sonora original do Drama, mas é uma música muito legal. Em particular, é ainda mais significativo porque é uma música de colaboração de todos os artistas da nossa empresa. Mesmo que não esteja incluído no OST, acho que haverá uma chance de você ouvi-lo.

O som do 2z é muito bom. O rock consegue ser suave e, às vezes, transmitir ainda mais energia, tornando o equilíbrio perfeito. Existem outros tipos de conceitos que você gostaria de explorar?

JISEOB: Acho que músicos devem sempre imaginar e contemplar. Sempre imaginamos, e me inspiro em pontos inesperados. Por exemplo, as faixas de “Show me the money“, um programa da Mnet na Coréia, são músicas de composição de Hip Hop, mas elas têm muitos sentimentos com os quais nossa geração pode se relacionar. Nos dias de hoje, quando a fronteira entre Hip Hop e Rock desapareceu muito, acho que seria divertido trabalhar com o conceito de elementos do Hip Hop. Se eu fosse falar sobre um dos conceitos que estou pensando agora, eu gosto de “At My Worst” do Pink Sweat$. Essa música expressa bem o sentimento de amor. Eu gostaria de tentar uma música de amor que pareça “suave” como essa música. “Ainda é um amor tolo de emoção. Mas ainda assim, me ame.” Eu tenho um desejo de colocá-lo nas músicas.

Quais artistas ou grupos vocês gostariam de trabalharem algum dia?

JISEOB: Gostaria de colaborar com (G)-IDLE. Uma vez fizemos um cover de “oh my god” do (G)I-DLE. Achei a musicalidade de Jeon So-yeon incrível. E ‘performance’ também foi incrível. E, na verdade, sou um grande fã do grupo. Pessoalmente, tem meus próprios sentimentos e estou ansioso pelo novo álbum delas, o último que foi lançado.

Quais são as metas da banda para o futuro?

BUMJUN: O objetivo é entregar um musical influente com mensagens agradáveis ​​ao público enquanto crescem lentamente sem desistir. E, espero que haja muitos fãs como resultado.

Aqui no Brasil existem muitos grupos de rock que lutam por um espaço no cenário musical. Qual conselho vocês podem dar para todos?

HOJIN: Não tente ser o melhor músico, mas tente ser o melhor membro da sua banda! Este também é o meu objetivo. Para o músico, a performance é uma parte muito importante e gananciosa, principalmente as partes técnicas de cada indivíduo. No entanto, acho que é uma banda é a mais perfeita para saber expressar o próprio estilo do que uma banda onde apenas as habilidades pessoais são destacadas.

Vocês têm muitos fãs aqui no Brasil. Como foi a reação de vocês quando descobriram que sua música atravessou o oceano e alcançou os fãs que estão sempre apoiando o 2z?

ZUNON: Estava tão animado que só conseguia pensar nisso como uma loucura! Uau! Estou recebendo muita motivação que nossa música 2Z seja entregue ao outro lado do mundo e estejam nos apoiando lá. Apesar da diferença de história e cultural em que vivi, senti que a criação de ‘fandom‘ que gostava do 2Z e nossa música se tornou uma realidade. Isso é muito incrível. Obrigado!

Vocês estarão vindo ao Brasil em breve. O que gostariam de comer e fazer aqui?

JungHyun: Em “Foz do Iguaçu”. É um lugar que eu só vi na TV na Coreia, e eu realmente quero ir antes de morrer. Quando assisti ao vídeo, meu coração ficou grande e sobrecarregado, mas não consigo imaginar o quão grande seria quando eu realmente visse. Que eu saiba, Foz do Iguaçu fica no Paraná. Se não pudermos ir porque não estamos na área para visitar, acho que podemos ir na nossa segunda turnê no Brasil. E há algo que eu realmente quero comer, se chama Churrasco. Como amante de carne, eu me pergunto como é o gosto da carne do Brasil.

Vocês gostariam de deixar uma mensagem aos fãs que estão lendo essa entrevista?

BUMJUN: Pessoal, somos cinco garotos que querem ser seu sol, mesmo que eu ainda tenha um longo caminho a percorrer…
Queremos  crescer de forma constante e amadurecer um dia para nos tornarmos uma banda que possa dar as mãos a cada pessoa. Queremos ajudar as pessoas que estão cansadas da vida e das lutas. Gostaríamos de influenciar e poder dar um pequeno raio de luz no escuro. E quero ficar ao lado das pessoas cansadas da vida, adoecer juntos e compartilhar tristezas. Eu quero ser sua esperança na vida! ‘2Z is Children Singing Hope’. 

 

Advertisement
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *