Luca Moreira

Conheça a Linha Produções: produtora de audiovisual que tem como missão dar voz às minorias

Foto: Divulgação

No cenário atual de luta contra os mais diversos tipos de preconceitos, produções audiovisuais que abordam problemáticas sociais contribuem para o avanço da quebra de padrões definidos por uma parte da sociedade que desmerece a escolha e o sentimento do outro. A produtora independente de audiovisual, Linha Produções, compõe o time das produtoras que produzem webséries com conteúdos LGBTQ+.

Hoje liderada por mulheres, a Linha Produções foi criada em 2017 pela diretora, roteirista e jornalista, Thaiane Soares, que atualmente conta com a sócia e atriz Maria Clara Rolim no controle em conjunto da empresa e no processo de criação dos projetos.

A produtora surgiu, não só da ideia de formar uma equipe de produção coletiva, mas também do desejo da proprietária Thaiane Soares de mostrar sua visão para o mundo e produzir conteúdo que possa servir como representatividade, principalmente por se tratar de conteúdo LGBTQ+, o qual ainda possui pouca referência no ramo audiovisual a nível nacional, como nas grandes emissoras de TV.

A proprietária da Linha Produções reforça a importância da abordagem nas produções brasileiras e considera como uma forma de tentativa de reeducação da sociedade que desmerece as diferentes formas de amor. “Não acho que essa reeducação será rápida e nem fácil, mas acredito que as produções LGBTQ+ nacionais estão sendo um dos primeiros passos para normalização e a igualdade”, afirma.

Foto: Divulgação

A também proprietária da produtora, Maria Clara Rolim, vê a produção audiovisual LGBTQ+ como uma força de representação de todos aqueles que não se sentem acolhidos pelos conteúdos já existentes. “É uma tentativa de normalizar e de quebrar com os padrões pré-estabelecidos na sociedade, e dessa forma dar voz, dar um verdadeiro chute no armário, e acabar com um falso moralismo que tenta engolir, que tenta calar a comunidade LGBTQ+. A sociedade é plural e a arte, podendo ser considerada um reflexo da vida, também deve ser”, completa Maria Clara.

Atualmente o canal do youtube conta com 65 mil inscritos e é um grande referencial representativo da comunidade na internet. Os sucessos já produzidos pela produtora e publicados na plataforma são: Além de Alice, Lívia Através da Lente, Área Cinza e Magenta. Um dos próximos projetos a serem estreados é a série “Encontro”, que estará ainda este ano no ar.

Se Liga!  Ainda não nos segue no Instagram? Corre lá, nosso @ é @breaktudoreal , voce pode nos seguir também no Twitter @breaktudo e no Facebook BreakTudo, aguardamos você lá.

Sobre o autor

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.








Siga no Twitter